quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Carta aos pais


IMPORTANTE!!!


 Pais, Mães e filhos!!! estou lendo um livro ótimo e me deparei com esta carta de um jovem que abandonou sua casa por não ter pais sensíveis e suficientemente interessados em ouvi-lo. Vou compartilha-la com vocês:

Queridos Pais,

Obrigado por tudo, mas vou para outro lugar tentar recomeçar minha vida.
Vocês sempre me perguntaram porque lhes dava tanto trabalho. A resposta é simples, porém não sei se entenderão. Lembram-se quando eu tinha 6 ou 7 anos e insistia para que vocês me ouvissem? Acho que vocês vão se lembrar mais facilmente dos brinquedos e das roupas que me davam no Natal e no meu aniversário. Eu ficava feliz durante uma semana, um mês, mas quando tudo deixava de ser novidade, voltava a desejar ser ouvido. Queria que me ouvissem como alguém que também possuía sentimentos e emoções, coisas de criança, eu sei, mas importante pra mim. Mas... vocês estavam sempre muito ocupados.

Mamãe, você é uma ótima cozinheira e nossa casa estava sempre muito limpa. Só que você estava sempre muito atarefada ou cansada demais para me dar atenção. Mas sabe de uma coisa? Eu preferiria Ter comido só arroz e feijão se isso fizesse você ficar sentada ao meu lado pelo menos parte do dia e me dissesse: “Conte para mim como foi o seu dia hoje.” 
Quando minha irmãzinha nasceu, não entendi porque faziam tanta festa. Será que a culpa era minha por não ter cabelo bonito, a pele lisinha e por ter que usar óculos? Além de tudo isso, as notas dela na escola eram sempre melhores que as minhas.

Se minha irmã um dia tiver filhos, digam a ela para dar uma atenção especial para aquele filho que não sorri muito, porque pode ser que ele esteja chorando por dentro. Digam a ela para não ficar tão ocupada a ponto de não perceber quando quiserem lhe dizer algo, mesmo que seja um sonho infantil, um pensamento de criança, pois mesmo sem saber exatamente como se expressar, esses sonhos e pensamentos são muito importantes para eles.

Gostaria de saber se esse problema não é o mesmo enfrentado por milhares de outros jovens: encontrar alguém que tenha tempo para ouvi-los e que os trate como um ser humano que tem necessidades como qualquer outro. Encontrar uma mãe amiga e um pai presente.
Se lhes perguntarem onde estou, digam que fui procurar alguém com tempo, porque tenho dezenas de idéias e anseios sobre os quais quero conversar.

Com amor, seu filho...........”

0 comentários:

Postar um comentário

 
;